6º Reunião da Câmara Temática de Motos – CMTT, sustenta que proibição da Marginal Pinheiros não foi aprovada pela comissão

Apesar da Câmara ter sido criada com o intuito de que a categoria de motofrete fosse ouvida em decisões que afetam diretamente quem anda de moto na cidade, não é isso que tem acontecido. A rotatividade dos secretários do governo municipal e a troca da comissão executiva resultaram em ações que passaram a ser feitas sem que os participantes fossem ouvidos, tendo a prefeitura de São Paulo decidido por medidas que foram impostas pela CET sem que fossem apresentadas ao grupo, como a  proibição de circulação dos motociclistas na pista expressa da Marginal Pinheiros.

Para o SindimotoSP, que participa da Câmara Temática, a medida é extrema e que a proibição de motos na Marginal Pinheiros não terá redução expressiva porque não circulam veículos de grande porte como na Marginal Tietê, e sim, automóveis de passeio.

 Além disso, essa proibição só está transferindo o problema de lugar. NA reunião o sindicato solicitou que os motofretistas cadastrados (placa vermelha e colete de identificação) possam andar na pista expressa da Pinheiros, já que os acidentes acontecem aos sábados e domingos durante a madrugada, horário que não há motofrete.

O que deve ter, da parte da prefeitura é campanhas de educação no trânsito e compartilhamento harmonioso de espaços pelos diferentes modais, mas que isso não ocorre hoje. As duas empresas de aplicativo no motofrete Loggi e IFood participaram também da reunião.