Morte de motoboy na Espanha causa protesto

“Morre em um acidente de trânsito um entregador do Glovo em Barcelona, seus companheiros exigem que a empresa seja responsabilizada. Da mesma forma que ocorreu em Buenos Aires com Ramiro Cayola, entregador do Rappi que faleceu atropelado por um caminhão em Puerto Madero, a empresa se exime de responsabilidade. Os trabalhadores de plataformas (Rappi, Glovo, Ifood… etc), esses novos operários digitais sem direitos básicos como a possibilidade de se sindicalizarem, dispor de serviços sociais ou seguros, expõem seus corpos ao que for, enquanto esses tipos de novas empresas não pagam impostos e não apresentam nenhum tipo de responsabilidade civil”