Motoboys da Loggi fazem greve no Rio

Nesta terça-feira (09), os trabalhadores motoboys do Rio de Janeiro, capital, fizeram uma paralisação em protesto contra a precarização das relações de trabalho que os profissionais têm com a Loggi.

A categoria, que durante a pandemia do Coronavírus teve sua atividade reconhecida com serviço essencial e linha de frente no combate ao Covid-19, vem denunciando constantemente as condições precárias de trabalho promovidas pela empresa.

Entre as queixas, os trabalhadores apontam o baixo valor da corrida, fazendo com que os motoboys tenham que trabalhar longas jornadas para garantir um mínimo que possa compensar o risco de acidentes ou contágio do coronavírus a que estão submetidos.

Além disso, durante a pandemia, o serviço de entrega aumentou devido o isolamento social da população e, ao invés da Loggi valorizar os motociclistas profissionais que não deixaram de trabalhar, mesmo sujeitos ao risco de contágio, vai na contramão de empresa responsável.
Na greve que iniciou nas primeiras horas do dia, os trabalhadores reivindicam aumento no valor do pacote ou do KM rodado, ou ainda valor de R$ 20,00 com limite para 15 pacotes.

Segundo organizadores da greve geral na cidade do Rio de Janeiro, ninguém entra ou sai com coletas dos galpões de Cordovil, São Cristovão, Vila Isabel e Centro da Cidade, entre outros.

da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *