Projeto Motociclista Seguro é apresentado na Câmara Temática de Motos – CMTT

Para reduzir os índices de mortalidade que envolvem acidentes com motocicletas, a Câmara formada por representantes de vários segmentos da sociedade, inclusive o SindimotoSP -representando os motociclistas, está viabilizando projeto que terá várias ações, como campanhas educativas, fiscalização, entre outras.

Segundo a CET-SP, em 2018 morreram 849 pessoas na cidade de São Paulo, destas, 43% eram motociclistas. Falta de manutenção na motocicleta, velocidade, desrespeito às regras de trânsito foram os principais motivos. Ainda em relação a dados estatísticos, 33% dos acidentes fatais envolveram motos e caminhões nas Marginais Tietê e Pinheiros.

 Para a instituição, o motociclista precisa fazer sua parte como respeitar limites, não fazer uso de bebida ou drogas, pilotar com equipamentos de segurança e sempre defensivamente, entendendo que ele é a parte mais frágil no caótico trânsito da cidade.

No projeto apresentado na última reunião, a ideia é enfatizar uso de equipamentos de segurança, como capacete afivelado e com viseira abaixada, que diminui 40% o risco de morte. Não beber quando estiver pilotando a motocicleta evita em até 3 vezes as chances de morrer em um acidente

Outro item observado foi que, 30% das autuações da Polícia Militar referem-se ao mau estado de conservação, principalmente dos pneus. Com eles gastos, o motociclista não consegue frear a tempo. No panfleto distribuído ensina-se que pela marca TWI é possível vera marca do desgaste da borracha.

Agora, no Grupo de Trabalho que compõe à Câmara, as ações serão discutidas para serem colocadas em práticas.