Sindicato dos Motoboys de SP Repudia empresas de aplicativos utilizarem o caso Matheus para camuflar sua própria precarização

Infelizmente, vivemos tempos difíceis. Após o caso Matheus, vítima de racismo durante entrega, com agressões verbais em um condomínio de Valinhos, no Interior de São Paulo, as empresas de aplicativos se pronunciaram com tamanha demagogia repudiada pelo SindimotoSP – Sindicato dos Motoboys. O caso do “Coletino” (apelido do Matheus) é tão sério como as centenas de preconceitos aos Motocas que acontecem diariamente. E o pior: as empresas de aplicativos praticam esse racismo no dia a dia.

Tomaremos todas as medidas cabíveis no caso do Motoboy Mateus, vítima de racismo

O Motoca trabalha mais de 12 horas diárias. São mais de 65 horas semanais. Ainda mais, caso não esteja disponível aos finais de semana é bloqueado covardemente por essas empresas. Além disso, quantos sofreram acidentes, amputaram membros do seu corpo e estão abandonados? Ou seja, estão agora completamente sem amparo legal, desempregados e esquecidos por empresas bilionárias que lucram diante da exploração e total precarização da mão-de-obra.

São nobres os gestos com o Motoca Matheus, mas existe uma categoria vítima desses aplicativos grandalhões que exploram, matam e humilham todos os dias os Entregadores. Nós, lideranças de uma entidade séria, jamais nos calaremos e ficaremos quietos diante de fatos demagogos promovidos por essas empresas. Na prática, neste caso Mateus ficou comprovado: com uma mão alisa (enquanto os holofotes estão para si), mas em contrapartida, com a outra mão, as empresas de aplicativos torturam o trabalhador.

SINDIMOTOSP – Sempre de olho!

Sindicato dos Motoboys de São Paulo contra a precarização!

JUNTOS NA LUTA POR JUSTIÇA SOCIAL!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *