SindimotoSP é contra multas aplicadas em rodovias

Os Policiais Rodoviários estão multando os motoboys que trafegam entre os corredores da Raposo Tavares, Airton Sena e Castelo Branco. Lei que proibia usar aquele espaço é vetada e artigo do CTB deve considerar velocidade e clima.

O SindimotoSP no uso de suas atribuições como legítimo representante da categoria se colocou contra as multas aplicadas recentemente nos motoboys no chamado “corredor da rodovia” e “por aproximação de veículos” nas Rodovias Raposo Tavares, Airton Sena e Castelo Branco pelos policiais rodoviários por entender que o Artigo 56 (proibição de circulação de motos nos corredores) do Código de Trânsito Brasileiro – CTB, que foi vetado pelo então presidente da República Fernando Henrique Cardoso e que o Artigo 192 (guardar distância de veículos) que deve se considerar a velocidade e as condições climáticas do local.

Em conversa com o Comandante da Polícia Rodoviária do Estado de São Paulo – Cel Lourival da Silva Junior, o SindimotoSP relatou que a ação dos agentes policiais deve ser em relação ao excesso de velocidade, irregularidade de documentos ou da motocicleta etc, e não por conta dos corredores ou aproximação de veículo.

O posicionamento do SindimotoSP se dá pelos relatos que chegaram de motociclistas profissionais que trafegam diariamente pelas rodovias citadas que, devido ao grande fluxo nos horários de pico, estão extremamente congestionadas, fazendo com que esses profissionais andem em corredores. Isso abre a possibilidade para que os policiais multem os usuários de motocicletas com base nos artigos 56 e 192 do CTB.

De fato, o SindimotoSP entende que essa situação está deixando trabalhadores sem poder trabalhar devido ao excesso de multas dos artigos citados que eles têm levado.

Os trabalhadores motociclistas que entendem ser a manifestação pacífica nas rodovias a forma de mostrarem o quanto estão sofrendo com isso para alertarem as autoridades, estão usando a prerrogativa de seus direitos garantidos na Constituição Brasileira.

O SindimotoSP continuará tentando também sensibilizar as autoridades militares quanto a essa ação que tem prejudicado milhares de trabalhadores que buscam o sustento de suas famílias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *