SindimotoSP, Febramoto e SindimotoRS reúnem-se com representantes do Ministério da Economia em Brasília

O encontro aconteceu na Esplanada dos Ministérios Bloco F – 8º andar, em Brasília, e serviu para colocar os representantes do governo federal sobre demanda das categorias dos motociclistas e profissionais em todo território nacional.

O SindimotoSP e a Febramoto já entregaram para o presidente Jair Bolsonaro um programa de geração de 500 mil empregos diretos com segurança para todas as 27 capitais brasileiras em projeto que poderá ser pauta de criação de uma mesa de diálogo envolvendo a Casa Civil da Presidência da República, devido à complexidade que envolve outros ministérios da esplanada no processo.

Uma das questões abordadas na reunião com o secretário da previdência fala dos acidentes com motociclistas e profissionais que aumentaram. A invalidez permanente tem deixado milhões de motociclistas e profissionais à beira da aposentadoria precoce, gerando alto custo para à Previdência Social, ainda mais agora que empresas de aplicativos trabalham com práticas fora das leis que disciplinam o setor e que incentivam entregas mais rápidas com prêmios ou bônus.

Por conta disso, a prefeitura de SP apresentou relatório para à imprensa no começo do ano que revelou aumento considerável de acidentes com motociclistas devido essa prática, ou seja, 18% das mortes em 2018 estavam vinculadas ao aplicativos. Essas empresas ainda desrespeitam a Leis Federais 12.009, 12.436, 12.997, além da Lei Municipal 14.491 da cidade de SP. Ainda precarizam as relações de trabalho e praticam o dumping social, sem pensar na saúde e segurança.

Hoje são 2,9 milhões de invalidez permanente, 250 mil mortes no trânsito tendo como principais vítimas os jovens de 18 a 36 anos, responsáveis por mais de 50% dessas causas. Diante desse quadro, o governo federal precisa tomar medidas urgentes.

A periculosidade foi outro assunto tratado com o governo federal e o congresso nacional com entendimento da permanência da Lei Federal 12.997, que mantém 30% sobre os salários de todos os trabalhadores em motocicletas, beneficiando mais de 2 milhões de brasileiros.

O deputado federal Jerônimo Goergen, do PP/RS, depois de conversar com o SindimotoSP e a Febramoto, além do SindimotoRS, ficou a favor da categoria defendendo no plenário do Congresso a permanência do benefício a todos os trabalhadores em motocicletas. O presidente do SindimotoRS Valter Ferreira também participou dos encontros.

Também na reunião falou-se de Projeto de Lei que cria um fundo de combate aos acidentes com motos. A ideia é usar de 2% da arrecadação de multas exclusivamente para campanhas de educação e segurança para o trabalhador motociclista. Já está mais que provado que capacitação, qualificação, campanhas e uso de equipamentos de segurança que funcionam e salvam vidas.

Em breve, SindimotoSP e Febramoto estarão novamente em Brasília defendendo os interesses dos profissionais e motociclistas.