Quarta, 22 de Setembro de 2021 15:02
(11) 5090-2240
14°

Chuvisco

São Paulo - SP

Dólar com.

R$ 5,28

Euro

R$ 6,2

Peso Arg.

R$ 0,05

Motofrete Brasil Falta de apoio

Hoje é Dia do Motociclista e motoboys têm pouco a comemorar

Falta de políticas públicas, precarização da mão de obra e até discriminação são alguns dos problemas que estão no setor de motofrete

27/07/2021 13h28 Atualizada há 2 meses
Por: Redação Fonte: Jornal A Voz do Motoboy
Divulgação
Divulgação

Considerado herói em tempos de pandemia, porque mesmo com isolamento social continuou trabalhando, o profissional do motofrete não tem dos governos, seja municipal, estadual ou federal, uma política pública específica que contemple diminuição de acidentes de trânsito, cursos de qualificação, combate a precarização das relações trabalhistas e sequer, vacina contra o coronavírus em tempos de pandemia. Se não bastasse isso tudo, ainda é marginalizado por boa parte da sociedade.

Isso não acontece em um estado específico e, sim em todo Brasil, já que as autoridades públicas muitas vezes cedem para empresas poderosas e milionárias, principalmente as de aplicativos no motofrete, que precarizam direitos trabalhistas explorando os trabalhadores sem fiscalização.

Para se ter uma ideia das dificuldades dos motoboys no exercício da profissão, basta ver os altos índices de óbitos que vem sendo registrados pelo país. No estado de São Paulo, por exemplo, as mortes de motociclistas aumentaram 13,5%. Boa parte desses óbitos são de motociclista recém chegados no motofrete, devido ao desemprego, que atuam no setor de delivery. Baixa remuneração e longas jornadas de trabalho tem levado esses trabalhadores a exaustão, tendo como resultado, mais mortes na categoria.

Também tem crescido o número de trabalhadores motociclista contaminados pelo coronavírus. Mesmo o Ministério Público Federal tendo determinado em Nota Técnica que as empresas, principalmente as que atuam com aplicativos, ofereçam suporte como kits de higiene e apoio financeiro, os que adquirem a doença são abandonados por essas empresas a própria sorte.

Ainda, nesse cenário, os motociclistas não tem cursos de qualificação gratuitos como outras categorias, campanhas educativas específicas para o modal motocicleta, incentivos para a regulamentação ou isenção de impostos.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.