Quinta, 26 de Maio de 2022 17:46
(11) 5090-2240
22°

Alguma nebulosidade

São Paulo - SP

Dólar com.

R$ 4,76

Euro

R$ 5,11

Peso Arg.

R$ 0,04

Motofrete Brasil Falta de condições

Precarização das relações trabalhistas no motofrete só acabará no Judiciário

Empresas de aplicativos devem ser fiscalizadas e os poderes públicos fazerem com que elas obedeçam às leis que já existem

08/04/2022 16h29
Por: Redação Fonte: Jornal A Voz do Motoboy
Divulgação
Divulgação

Mesmo estando longe de acabar essa novela, os motofretistas e entregadores aguardam com esperança um parecer favorável para eles no Judiciário, que julga em ação civil pública no Ministério Público do Trabalho, MPT, a precarização dos direitos trabalhistas promovida por empresas de entregas de pequenas mercadorias e refeições, além de outros itens.

O SindimotoSP, grande articulador da categoria, foi quem denunciou há alguns anos as irregularidades cometidas por essas empresas. Com discurso de ganhos fáceis, autonomia e horário livre, elas seduziram o trabalhador e o colocaram atualmente, em um regime de semiescravidão.

São longas jornadas de trabalho, baixos salários, falta de apoio logístico, inclusive no combate ao coronavírus, nenhum direito trabalhista e o pior: abandono na hora do acidente. A família de quem morre trabalhando exaustivamente em cima de uma motocicleta é que arca com todos os custos e futuro incerto.

Até o fechamento dessa matéria, todas as ações civis públicas no MPT aguardam continuidade dos processos, com as partes contrapondo defesas, liminares etc. Quem perde com isso? O trabalhador.

Para o SindimotoSP, essas empresas devem ser responsabilizadas socialmente, responder solidariamente por tudo que acontece com os trabalhadores.

O sindicato ainda reforça que o governo, principalmente o federal, deve fiscalizar, fazer com que cumpram as leis já existentes, como por exemplo, a Lei Federal 12.009 que disciplina o setor em todo Brasil. Ainda nesse discurso sindical, o trabalhador deve fazer sua parte, qualificando-se. O Curso 30 Horas do Contran, é a porta de entrada para o setor e deve ser feito por todos aqueles que desejam exercer à profissão.

“Empresas de apps, governos públicos e trabalhadores devem estar juntos, dialogando, buscando melhorias e soluções para que o setor de motofrete tenha equilíbrio, em que todos possam ganhar e principalmente os trabalhadores viverem com dignidade e menos riscos”, frisa Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, presidente do SindimotoSP e da Febramoto.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
São Paulo - SP
Atualizado às 17h29 - Fonte: Climatempo
22°
Alguma nebulosidade

Mín. 13° Máx. 26°

22° Sensação
7 km/h Vento
43% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (27/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 14° Máx. 26°

Sol com algumas nuvens
Sábado (28/05)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 14° Máx. 27°

Sol
Mais lidas